fbpx

Carlos Viana consegue destravar obras paradas que irão beneficiar produtores e auxiliar no combate à seca no Norte de Minas

A conclusão da primeira fase das obras do projeto Gorutuba, em Nova Porteirinha, será no mês de março. As obras chegaram a ficar ameaçadas e poderiam atrasar porque a VLI Multimodal S.A. (antigo acrônimo para Valor da Logística Integrada), empresa de logística do Brasil, queria cobrar da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) uma conta de R$ 40 mil para a passagem dos canos subterrâneos à linha férrea. Seriam cinco passagens, ou seja, R$ 200 mil por ano, a de eterno. No entanto, após o senador e vice- líder do governo Carlos Viana (PSD) entrar em contato com a VLI, o impasse foi resolvido.

“Falamos com o presidente da VLI, Ernesto Pousada. O ministro Rogério Marinho também fez uma ligação para a VLI e hoje nós recebemos a resposta de que a empresa não vai cobrar nada. Ou seja, a obra não vai parar e nós vamos poder entregar até o final de março essa primeira fase”, explica Carlos Viana. Segundo o senador, assim que terminar essa primeira fase, imediatamente, a segunda etapa terá início. Carlos Viana falou da importância da estrutura de irrigação do Gorutuba para a região, uma obra iniciada ainda no regime militar, e que atualmente, segundo o parlamentar, gera aproximadamente 10 mil empregos diretos e indiretos.

“Com essa fase 1 sendo terminada, nós vamos economizar 50% da água que era perdida nos canais de irrigação. Essa nova fase, além da diminuição, vai trazer uma proteção maior para a barragem Bico da Pedra. Nós vamos conseguir manter a Barragem com um fluxo menor e naturalmente aproveitar a água da chuva. A preocupação hoje, é nós resolvermos o abastecimento de água em toda a região”, salientou. Ainda segundo Viana, além dos R$ 12 milhões liberados para a retomada da obra dos canais, serão necessários ainda mais R$ 120 milhões para a conclusão do projeto.